Breve História do Coral Häendel da Igreja Central Paulistana

Escrito por Comunicação IASD
Categoria: Corais Criado: Sábado, 27 Dezembro 2014 22:27

Dezembro de 1933 - E fundado o Coral misto da Igreja Central Paulistana, que recebeu então o nome de "Coro Sião". Seus regentes eram os irmãos Pr. Hagen e Iracema Zorub.

Agosto de 1934 - O Coro Sião estabelece seus regulamentos para os membros. As moças não deveriam cortar os cabelos muito curtos e não usar pintura. Requeria-se que todos os cantores estivessem em perfeita comunhão com a igreja e vivendo segundo os princípios bíblicos. O uniforme dos rapazes era composto de terno escuro, camisa branca e gravata preta. Um pouco funéreo, mas discrição absoluta era a palavra de ordem na época…

1935 - O regente do coral era Bernardo S.C. Henemann. Recebendo um chamado para trabalhar em outro setor da Obra, passa o cargo para Ida Hagen.

Dessa data ate 1951, não houve registro das atividades do coral, embora o grupo de cantores houvesse desenvolvido normalmente seus trabalhos de ensaios e apresentações.

Junho de 1951 - Dirigido pelo Pr. J. Passos e regência de Gérson Matos, o Haendel continuava seu ministério de louvor, agora soprando 18 velinhas de de existência.

1952 - Já sob a direção administrativa e regência do Pr. Passos e secretariado pelo jovem Geraldo Böekenkampf, o Häendel prosseguia em ininterruptas apresentações de hinos e cânticos edificantes e espirituais.

1953 - Mudança da diretoria administrativa, agora sob a responsabilidade do irmão João Sartorello e regência de Irma da Rimini Butler, extraordinária cantora lírica e regente, que marcou profundamente os cantores de então,
num dos mais profícuos ministérios musicais de que se tem notícia na historia do coral. No mês de agosto desse mesmo ano, foi feita uma solicitação oficial a Associação Paulista, para que doassem as becas do extinto coro da instituição ao Häendel.

1961- Com a aprovação da Comissão da Igreja, mandou-se construir uma
sala para o coral utilizar em ensaios e guarda de becas e equipamento.

1962 - Assume a direção e regência do Coral, a Profª. Cirene Flávia Giannoni, de saudosa memória. Sua competência, dedicação e comando marcaram época na Central.

1963 - Até então os homens trajavam beca azul. Resolveu-se mudar o visual masculino, adotando-se terno escuro com gravata borboleta (Chique, né?).
As moças, por sua vez, passaram a usar a beca azul.

1967 - E eleita como diretora do Coral a competente Profª. Cibele Botelho, organista e pianista da igreja e depois do quarteto da Voz da Profecia.

1968 - Novo uniforme e confeccionado com o apoio financeiro da tesouraria da Igreja

1971 - E eleita como diretora a irmã Salvadora Schlemper, esposa do pastor titular da Central, Evaldo Schlemper. Como pianista, assume a irmã Elfrida Krepski.

1972 - O experiente Pr. Rubens Segre Ferreira e escolhido como diretor.
Como pianista e organista, assume a proficiente Profª. Ruth Cezar Costa.

1974 a 1985 - O Prof. Dino Nolasco dos Santos, musico, compositor,
arranjador e regente encabeça o Coral Häendel, e permanece a testa do
grupo durante onze anos.

O Coral Häendel também teve como regentes os Profs. Helio Vieira dos Santos, com acompanhamentos de sua esposa Ieda dos Santos, Rubnei Rosa, William Chimello, Pr. Davi Marski, Esther Pinho Stockier de Lima, Pr. Rubens Dias e acompanhamentos de sua esposa Cleide Belz Dias. Todos eles contribuíram grandemente com o ministério do canto exercido pelo coral. Estão gravados não somente na memória daqueles que cantaram sob seu comando, mas também no coração.

Capa HaendelA partir de 1995, assume o comando musical do Coral Häendel a dedicada e competente Hete Campos Gonçalves. Até hoje a Hete se dedica de corpo e alma ao coral. Seu esposo, Silvio Gonçalves é o incansável e devotado sonoplasta.

O primeiro diretor dessa nova fase foi o Prof. Floriano Azevedo. Ainda atuaram como diretores administrativos os irmãos Cesar L. Pagani, Reisvaldo C. Oliveira, Homero, Adroaldo Correia, Wilson Kauffman. Atualmente, a diretoria administrativa esta sob os cuidados da Dra. Selma Delatore.

O Coral Häendel sempre primou pela interpretação de hinos, cânticos e louvores de cunho eminentemente sacro, desde os clássicos de Mozart, Häendel, Beethoven, Vivaldi, Bach, Haydn, Sibelius, Saint-Saenz, Gounod, César Franck e outros. Também fazem parte de seu repertório obras mais modernas como as de João Wilson Faustini, John Peterson, Davis Giersch, David H. Willians, Don Besig, Nabor Nunes Filho, Pérsio Ribeiro Gomes e um sem número de compositores.

.

Compartilhe este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to Twitter